quarta-feira, 31 de outubro de 2012

Evidências de que é possível combater a corrupção e melhorar a qualidade do gasto público

Revertendo o ciclo é o título de reportagem da Revista Página 22- Informação para o novo século que mostra evidências de que é possível combater a corrupção e melhorar a qualidade da aplicação dos recursos públicos. O que passa pela transparência, pelo envolvimento da população e pela disposição dos gestores públicos para tal. É simples, chega a ser óbvio, é possível fazer.

A Página 22 é uma publicação do Centro de Estudos em Sustentabilidade da Escola de Administração de Empresas da Fundação Getulio Vargas e de jornalistas independentes, "voltada para os dilemas do século XXI e os desafios para que a humanidade caminhe em direção ao século XXII com uma visão do mundo como um sistema único – no qual os modelos econômicos só fazem sentido se promov
erem o bem-estar social e a manutenção das condições naturais que garantem a vida na Terra". 


Vale a pena ler a reportagem completa: Revertendo o ciclo
Página 22 - Revertendo o ciclo


segunda-feira, 29 de outubro de 2012

Aberto período para diálogo virtual sobre o Plano de Ação Brasileiro na Parceria para o Governo Aberto (Open Government Partnership)

De 29 de Outubro a 05 de Dezembro de 2012, qualquer interessado pode apresentar propostas ao Plano de Ação do Brasil no âmbito da Parceria para Governo Aberto (Open Government Partnership).

A Open Government Partnership (OGP) é uma iniciativa global que pretende contribuir para a melhoria da qualidade dos governos, tornando-os mais transparentes, efetivos e accountable, com instituições que promovam o engajamento dos cidadãos e sejam responsivas a suas aspirações.

O diálogo virtual sobre o Plano está aberto à participação dos cidadãos brasileiros por meio do ambiente E-democracia, da Câmara dos Deputados.

Mais detalhes em:
Controladoria Geral da União (CGU) - Começa em 29 de Outubro consulta virtual sobre Governo Aberto
Diálogo Virtual - Open Government Partnership (OGP)

quarta-feira, 24 de outubro de 2012

Universidade Estadual de Maringá e Escola de Gestão Pública realizam o Fórum de Indicadores Sobre Gestão Pública Municipal.



Nos dias 19 e 20 de novembro de 2012 ocorrerá na Universidade Estadual de Maringá, UEM, o Fórum de Indicadores Sobre Gestão Pública Municipal, debate envolvendo pesquisas sobre indicadores, no âmbito do Plano Anual de Fiscalização Social - PAF Social.

Serão discutidos avanços, problemas e desenvolvimento de novas frentes de pesquisa. O fórum é aberto a todos os interessados e servirá de palco para o lançamento do Compêndio Eletrônico (E-book) contendo todos os relatórios de pesquisa elaborados pelas equipes do PAF Social, desenvolvido pelo TCE do Paraná.

As inscrições para o evento podem ser feitas por meio do site:
www.tce.pr.gov.br/tcacao_eventos_agendados.aspx

Pesquisadores do Politeia abordam campo de trabalho do administrador público no Diário Catarinense e na Zero Hora

* Por Marina Silva e Paula Schommer


A professora Patrícia Vendramini e o mestrando Jeferson Dahmer, ambos do grupo de pesquisa Politeia, concederam entrevista à imprensa abordando o campo de atuação do administrador público. Foram publicadas matérias nos jornais Diário Catarinense e Zero Hora.

Eles destacaram os diferentes campos de trabalho do profissional da área pública, tais como governos, empresas e organizações sociais. 

Interessante observar que um dos jornais deu mais destaque à atuação em governos, enquanto o outro enfatizou que os profissionais com formação na área pública podem atuar também em empresas, organizações da sociedade civil e, sobretudo, nas interfaces entre elas e com os governos. (Palpites sobre a ênfase de cada um dos jornais?)

Em destaque em ambos, inclusive nas belas fotos que ilustram as reportagens, o trabalho de Jeferson Dahmer, graduado em administração pública pela Esag/Udesc, junto ao Observatório Social de Florianópolis.  Pesquisas do grupo Politeia sobre observatórios sociais e outros mecanismos de accountability mostram justamente que o Brasil tem avançado nos instrumentos de controle social e controle institucional, o que aumenta as oportunidades de trabalho para os que se qualificarem nessas áreas.

Entre os temas enfatizados pela Professora Patrícia estão as singularidades da formação em  Administração Pública em relação a outros cursos na área de Administração, e o que é preciso para o aluno gostar do curso e de atuar profissionalmente nessa área.

Fica o registro de nossos parabéns a Patrícia e Jeferson e nosso agradecimento pelo trabalho que vem desenvolvendo na pesquisa.


quarta-feira, 17 de outubro de 2012

Uso e publicação de dados em debate no campo do investimento social privado

Edição recente da Alliance Magazine debate o uso de dados para orientar a filantropia e o investimento social privado, campo este relacionado à coprodução do bem público.

Alguns dos textos sobre dados e investimento social estão publicados e/ou comentados no site do Grupo de Institutos, Fundações e Empresas - GIFE.  Entre eles:

Editorial - Os dados não são apenas para nerds
O que os dados podem fazer pelo investimento social

Neste último texto, admite-se: "Nós já entramos no mundo dos “grandes dados”, porém o investimento social privado parece um pouco atrasado para pegar o trem que já está andando. Qual é o motivo?" 

Discussão relevante, pois embora os recursos sejam de origem privada, o investimento social privado volta-se à esfera pública, buscando contribuir para a produção de bens públicos. O que passa pela necessidade de transparência, controle e accountability.

Faça o que eu digo, não faça o que eu faço. Será?

Li há pouco esta matéria da Folha de São Paulo sobre auditorias do Tribunal de Contas da União em universidades federais que encontrou muitos casos de servidores que acumulam empregos irregularmente.

Fiquei com vontade de publicar algum comentário, mas me faltam elementos para compreender, analisar, argumentar. Escrevo então ideias soltas que me ocorrem e peço ajuda dos colegas para a análise.

Sei que o fato tem a ver com transparência, controle e accountability, nossos temas de pesquisa abordados neste Blog. Tem relação com condições de trabalho no serviço público, particularmente nas universidades. Tem a ver com educação e com o desafiador exercício de se praticar aquilo que se professa. Tem a ver com a mania nacional de estabelecer regras e mais regras que não são cumpridas, que sabemos não serão cumpridas, que muitas vezes não fazem sentido, que não são controladas e não geram efeito algum. E continuamos apostando que basta definir uma "boa regra" para que as práticas se transformem. Regras "iguais para todos" que não logram promover justiça, ignorando as particularidades de cada contexto e desestimulando o mérito, a flexibilidade e a responsabilidade das pessoas.

A análise do professor da UnB, Roberto Piscitelli, aponta que "as instituições de ensino superior precisariam investir mais na profissionalização de suas administrações, definir melhor as atribuições de seus mestres e dispor de sistemas apropriados de acompanhamento e avaliação de seu pessoal".

O que nos remete à accountability que prioriza resultados em lugar de processos.

quarta-feira, 10 de outubro de 2012

Prêmio para boas ideias em transparência e accountability pelo "Testing 123 - The Global Integrity Innovation Fund"

O Fundo Global de Inovação em Integridade (Testing 123 - The Global Integrity Innovation Fund) está com inscrições abertas para uma premiação de ideias inovadoras em transparência e accountability.

Serão premiadas de 10 a 15 ideias, que podem ser submetidas por indivíduos ligados ou não a alguma organização. O prêmio é de 10 mil dólares para cada ideia escolhida. As inscrições podem ser feitas até o dia 16 de novembro.

Detalhes sobre o Prêmio e o Fundo em: Testing 123 - The Global Integrity Innovation Fund

Vale conferir no site a apresentação sobre o conceito de inovação como processo de aprendizagem que envolve tentativa e erro.

quarta-feira, 3 de outubro de 2012

I Workshop de Dados Abertos e Hackday em Florianópolis (SC)


Nos dias 10 e 11 de outubro acontece o I Workshop de Dados Abertos na Assembleia Legislativa de Santa Catarina, em Florianópolis, seguido do Transparência Hackday, um evento mão-na-massa, para pessoas construírem e realizarem juntas projetos baseados em dados e tecnologias abertas.

Na quarta-feira (10), serão abordados, em quatro oficinas, desde aspectos conceituais e políticos dos dados abertos, até aspectos técnicos como formatos de publicação e ferramentas de visualização. Além disso, debate sobre como usar o potencial dos dados para fazer sites, aplicativos e matérias jornalisticas.

Após o ciclo de oficinas, será iniciado o Transparência Hackday, que segue na quinta-feira (11). A ideia é pensar e construir projetos de sites e aplicativos que combinem dados abertos, tecnologias livres e participação política na rede.

Enquanto isso, acontecem lightning talks sobre transparência pública, governo aberto, open data e participação política na rede.

O Workshop está sendo realizado pelo Laboratório de Cultura Digital, em parceria com a Controladoria Geral da União e em convênio com a UNESCO. O evento é gratuito e qualquer um pode participar, independentemente da formação.

As inscrições podem ser feitas em: https://docs.google.com/spreadsheet/viewform?formkey=dDl3bnhKbnVvZHp0R0k3RC14MmFZWkE6MQ



---
Ciclo de Oficinas:

O que são dados abertos?
Uma introdução ao mundo dos dados abertos, príncipios e práticas - como surgiu o movimento mundial e em que pé estamos. Como os dados abertos dialogam com a lei de acesso à informação e como se adequar à ela.

Oficineiro: Daniela Silva
Público alvo: Gestores e servidores públicos, acadêmicos e cidadãos curiosos

Formatos de dados abertos e abertura de dados do governo
Oficina técnica sobre os diferentes formatos de dados abertos e como publicar esses dados. Repositórios de dados e o caso do Dados.gov.br.
Uma explicação sobre a Infraestrutura Nacional de Dados Abertos e como participar.

Oficineiro: Nitai Silva
Público alvo: Gestores públicos, servidores com perfil técnico, desenvolvedores e cidadãos curiosos.

Jornalismo voltado para dados
Como utilizar o potencial dos dados abertos para produzir matérias, infográficos e contar histórias. Ferramentas para manipulação de dados e técnicas narrativas.

Oficineiro: Patricia Cornils
Público alvo: Jornalistas, estudantes, movimentos sociais e cidadãos curiosos

Dados, Mapas e Informações georreferenciadas
Uma introdução à visualização de dados em mapas. Como gerar mapas interativos a partir de bases de dados usando ferramentas livres.

Oficineiro: Pedro Markun
Público alvo: Jornalistas, cartógráfos, estudantes, desenvolvedores, movimentos sociais e cidadãos curiosos

--
Programação

Dia 10 - Ofícinas e Hackday

10h00 - 10h30 - Abertura e credenciamento
10h30 - 12h30 - Oficina: O que são dados abertos?
12h30 - 13h30 - Almoço
13h30 - 15h30 - Oficina: Formatos de dados abertos e abertura de dados do governo
15h30 - 17h30 - Oficina: Jornalismo voltado para dados
17h30 - 19h30 - Oficina: Dados, Mapas e Informações georeferenciadas

19h30 - Início Hackday
23h00 - Fim Hackday
23h30 - Boteco Hacker

Dia 11 - Hackday e Lightning Talks

10hs - Início Hackday
13h30, 14h00, 14h30, 15h00, 15h30, 16h00, 16h30, 17h00, 17h30, 18h00, 18h30, 19h00, 19h30 -> lightning talks sobre sobre transparência pública, governo aberto, open data e participação política na rede.
23hs - Fim Hackday
23h30 - Boteco Hacker

===============================

1o Workshop de Dados Abertos
Quando: 10 e 11 de outubro
Onde: Assembleia Legislativa de Santa Catarina
Rua Doutor Jorge da Luz Fontes, 310 - Centro Florianópolis - SC
Inscrições: https://docs.google.com/spreadsheet/viewform?formkey=dDl3bnhKbnVvZHp0R0k3RC14MmFZWkE6MQ

terça-feira, 2 de outubro de 2012

Udesc lança Catálogo dos Grupos de Pesquisa

A Universidade do Estado de Santa Catarina lançou o Catálogo dos Grupos de Pesquisa da instituição. São 141 grupos certificados pelo CNPq.

Um deles é o grupo Politeia - Coprodução do Bem Público: Accountability e Gestão. Estamos na página 85, próximos a outros grupos de pesquisa do Centro de Ciências da Administração e Socioeconômicas - ESAG e da área de Ciências Sociais Aplicadas.

Para conhecer mais sobre a pesquisa que vem se consolidando na Udesc, vale conferir o Catálogo dos Grupos de Pesquisa da UDESC.



Coprodução de serviços públicos e accountability são alguns dos temas da XVII IRSPM Conference, em Praga, 2013

Em sua 17a edição, a Conferência da International Research Society for Public Management  - IRSPM acontecerá em Praga, na República Tcheca,  em Abril de 2013.

Entre os temas dos painéis já aprovados para o evento, estão vários tópicos estudados por pesquisadores do Grupo Politeía e nos cursos de mestrado e de graduação em administração pública da Udesc/Esag. Entre eles: coprodução de serviços públicos, accountability, transparência, governança e coordenação, práticas inovadoras na provisão de serviços públicos, combate à corrupção, avaliação de desempenho colaborativo, entre outros. Veja a lista completa de Painéis em List of panels - XVII IRSPM


A submissão de abstracts para o evento está aberta até o próximo dia 21 de Outubro.
Mais informações sobre formatos de submissão e prazos em Key dates and deadlines e em Guidelines.

segunda-feira, 1 de outubro de 2012

Diário de Classe segue mostrando como é possível coproduzir educação qualificada

O Blog Diário de Classe, criado pela estudante Isadora Faber, de Florianópolis, segue mostrando como cada um de nós pode contribuir para melhorar a qualidade da escola e da educação no Brasil. É a coprodução do bem público educação acontecendo na prática, em nosso cotidiano, perto da gente.

Na mensagem transcrita a seguir, Isadora nos desafia a pensar que podemos almejar que o Brasil seja um país de excelência em educação. Para o que é necessário o engajamento de todos - estudantes, professores, familiares, comunidade, servidores públicos, especialistas em educação. Engajamento no sonho, nas ideias e nas ações.

Segue o texto postado no Diário de Classe, nesta 2a feira, 01 de outubro:

"Fazem pouco mais de dois meses de Diário. Muita coisa mudou, nunca pensei na repercussão que ia dar. Olhando tudo que aconteceu, fico feliz em ver que as coisas que mostrei foram consertadas, a quadra parece que vai ser pintada, a APP foi formada e outras coisas. Me perguntam muito o que vai ser agora que a escola foi reformada, se vou seguir com Diário. Hoje penso diferente, penso maior. Penso que se minha escola pode melhorar, por que não as outras? Não só de Florianópolis, mas de todo Brasil. Por que vemos escolas tão ruins como as que são mostradas aqui? Quem ganha com isso? Pra mim isso é motivo de vergonha e acho que isso envergonha todo Brasil. Será que pensam que enganam alguém com índices, cotas? Será que os outros países acreditam nisso? Você acredita nisso? Eu acho que o Brasil finge que a educação tá boa para impressionar os outros como se todos fossem bobos. Recebi fotos que parece qualquer coisa, menos escolas, por que isso? Se a ge
nte é o país do futebol, do samba, por que não ser o país da educação? Não seria legal ser conhecido por ser o país de melhor educação do mundo? Sermos respeitados em qualquer lugar como um povo culto, inteligente e educado? Acho que sendo assim, o resto vem junto, pois nenhum povo educado e inteligente não vai deixar a saúde de lado por exemplo. Vontade de mudar já vi que muitos tem, então o que falta? Eu tenho vontade, gostaria que minha escola fosse uma escola modelo e vou fazer o possível pra isso, espero que um dia algumas pessoas entendam e me ajudem também. E vcs, sabem como vai a escola dos seus filhos? Sabe se esta faltando professor? Sabe o que ele comeu hj? Sabe o que ele aprendeu hj? O que ele faz quando não tá na escola, você sabe? Podemos começar assim, não é tão difícil... os estudantes tb tem que falar, são os maiores interessados, não podem ficar quietos. Muitos me dizem que é sonho, que sou criança e não sei das coisas, que não é bem assim... não me importo, gosto de sonhar. Saber que tem milhares de curtidores inconformados com a educação no Brasil me motiva a continuar, mas agora não só pela minha escola, mas por todas escolas do Brasil."

Reforma da Previdência e Accountability Democrática

Por Ana Beatriz Senna* Em contextos democráticos, o poder deve emanar do povo. Os governantes têm o dever de prestar contas de suas ações ...